Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Sábado, 03.08.13

Desabafo da maricas do cabelo

Esta semana foi dia de cabeleireiro. Não gosto de cabeleireiro. Devo ser a única mulher no mundo que não relaxa e aprecia a experiência de ir ao cabeleireiro. Não gosto da massagem a lavar a cabeça (detesto, aliás), não gosto das cadeiras nem dos cremes nem de estar lá a perder o meu tempo com conversas...mas, para piorar o cenário, sou esquisita com o cabelo. Só quero "aquela pessoa" para o corte e "aquela pessoa" para a tinta e sou, resumindo, uma maricas do cabelo.

Mas para mim o cabeleireiro é uma coisa que tem que ser, como a depilação. Não vale a pena não gostar porque não deixo que me cortem o cabelo em casa e até aceito todas essas coisas das quais não gosto no cabeleireiro pela necessidade que tenho de lá ir. 

Mas.... se há coisas que me irritam um bocado é a pressão exercida no cabeleireiro para cremes, espumas, shampôos e tudo o que o nosso cabelo precisa desesperadamente naquele momento e que parece que sem elas, vai cair.

Já tive várias peripécias de "não quero creme, obg", "lave com o shampôo normal por favor", "não, não quero um tratamento intensivo ao couro cabeludo" e "laaaaaasrguem-meeee as unhas!!! Se quisesse arranjar as unhas chegava e dizia que vinha arranjar as unhas!!!"

Mas com estas coisas ainda não fervo... O que me ferve o sangue é chegar à conta no final e ver que cobraram cremes e cenas das quais não me deram conhecimento... ISSO é que me deixa possuída!!! 
Da última vez recebi a conta, fiquei incrédula e nem consegui reagir... cheguei a casa e descarreguei no marido e nos telefones... Ai sinhor que ninguém me segurava...marido (coitado que levou com a tempestade em cima) ainda disse "mas está giro!!!" E eu "não é isso!!! O problema é que me enganaram com os cremes e o preço das californianas e matização e nuances e essas coisas..." Fiquei doida!!! Disse que ia lá voltar e que me iam corrigir isto porque tinham sido desonestos e que eu não iria pagar"
Marido (na sua calma): "vais ver que gostas daqui a uns dias..."

Daí a uns dias voltei. Voltei com a tromba número 7 e disse que não estava satisfeita com o trabalho mas que compreendia que a técnica era assim e se calhar até a sra tinha sido profissional nesse aspecto mas eu é que não "me conseguia ver ao espelho". Quando o outro senhor disse que se poderia corrigir a situação com isto e aquilo, ai meninas, eu mostrei as garras e disse "mas quero saber exactamente quanto vou pagar antes de me sentar na cadeira porque se me voltarem a fazer o que fizeram da última vez (e contei dos produtos que me cobraram sem dizer), vou já a outro sítio." O rapaz (que não deve estar habituado a estas vidas porque nos cabeleireiros chiques as pessoas não perguntam quanto vão pagar porque têm vergonha) disse logo "Por favor, não vai pagar nada!" e o assunto resolveu-se.

Desta vez, coincidência (ou mesmo nenhuma) foram todos super simpáticos e ninguém me colocou cremes sem me perguntar se eu queria e quanto cobravam por eles. Eu disse: "da última vez fiquei mesmo aborrecida" e a moça (que nem a vi da última vez) disse: "Eu sei." Uiiiiiiiiii!!!!! Fiquei famosa ali!
Pronto. Pode ser foleiro perguntar quanto custa isto ou aquilo ou dizer que não se quer gastar tanto dinheiro numa futilidade como o cabelo mas para mim, foleiro é a desonestidade seja num cabeleireiro de esquina ou num que tenha um grande lustre no tecto.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por oturnodanoite às 17:40



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Agosto 2013

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031