Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Segunda-feira, 12.08.13

Analepse: Antalya

 

Faltava aqui este. A road trip no ano passado à Turquia incluiu esta capital costeira e não poderia deixar a coisa a meio.

 

Antalya é uma cidade grande. Chegámos de Oludeniz pela estrada da montanha e avista-se a cidade ao longe...cada vez mais perto e mais bonita.

Nós ficámos num hotel central na zona velha da cidade. Muito bonita, com direito a muralha, imensas esplanadas e paisagem deslumbrante. 

O hotel tinha o seu ar pitoresco, com uma piscina pequena, pequeno almoço bom mas muitas escadas....para quem está gravida as escadas ainda escapam (que era o meu caso) mas para quem tem criancinhas ou tem mobilidade reduzida não é a melhor aposta.

O centro da parte velha da cidade tem ruínas, muuuuitas lojas e muuuuuitos cafés e restaurantes e vale muuuuito a pena...ruas estreitas com contrabando e a cheirar a chá de maçã é o que se espera daqui....

 

A parte nova da cidade (vimos a correr) tem as coisas normais...os prédios, as casas, as lojas chiques e os psrques.

A cidade tem bons meios de transporte (aqui já não tinhamos o carro) que se utilizam com facilidade. Nós usámos um eléctrico que faz a ligação da zona velha da cidade até à praia.

Praia maravilhosa, de pequenas pedrinhas (e não areia) e água límpida. Adorámos!!! Para mim as praias são muito mais do que areia branca e palmeiras...são a paisagem, o cheiro, a limpeza, a água, os acessos e o "suporte" como cafés e afins. Vale a pena!! É tudo bastante bom, limpo e cuidado menos o acesso para quem vem de eléctrico porque é preciso descer uma grande rampa para a praia e tal como calculam, o problema não está em descer....

 

As pessoas aqui foram igualmente simpáticas, prestáveis e acolhedoras....

 

Dicas: levem para a praia sapatinhos caso as pedrinhas não façam o vosso estilo (não fica sexy mas olha, temos pena), levem dinheiro porque não há MB e não querem ter que subir a rampa para levantar dinheiro e relaxem nas espreguiçadeiras...Não fomos ao museu que é lá perto mas vimos muita gente a deslocar-se para lá...aconselho ainda a comer numa esplanada da muralha, comer gelado, ver a fonte luminosa e a fazer compras regateadas...do melhor!!

 

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

por oturnodanoite às 21:44

Segunda-feira, 27.08.12

Turquia: Oludeniz

A 12 Km a sul de Fethiye fica esta bela localidade. Considerada uma das mais bonitas praias do mundo é o sitio perfeito para mergulhar, passear de barco, apanhar sol e descansar.

 

Nós optámos por visitar este local a 200 Km de Antalya por ser considerada uma das 10 melhores praias do mundo...o mar entra pela terra e faz uma bela enseada que à primeira vista nas fotografias, parece um lago rodeado de montanhas...mas não é.

 

Só para terem uma ideia de como chegar....o aeroporto mais perto desta localidade é o aeroporto de Dalaman que fica a menos de 100 km e tem vôos directos de vários países (do nosso não tem) o que facilita a chegada à localidade. Nós, alugámos um carro em Antalya. Depois de procurarmos as principais agencias de rent-a-car e de verificarmos que eram bastante caras, optámos por uma agência local que mais parecia a garagem do senhor Turco. Não foi muito fácil dar com o local mas o táxi lá conseguiu, pagámos metade do preço em relação a grandes agencias, tínhamos os papeis de seguro, a "via verde" deles (paga à parte 10€) e o carrito estava dentro do que tinhamos planeado. Apesar de, enquanto o senhor preenchia a papelada a esposa estar na cozinha a cortar batatas e nós numa salinha a beber chá, o aluguer correu muito bem e valeu a pena.

 

A viagem Antalya- Oludeniz durou cerca de 3h por estrada nacional, mas boa. A paisagem era bonita (montanhosa) e à beira da estrada há sempre gasolineiras e restaurantes com boa comida. A sinalização é boa mas ainda assim, levámos GPS.

 

Voltando a Oudeniz...

 

O hotel era óptimo, tudo limpo e com muita oferta de actividades e comida, gente simpática, banho turco e internet gratuita. Ficava situado no centro da localidade o que pode ser bom para quem quer caminhar pouco mas alguns quartos eram um pouco barulhentos porque as varadas ficam viradas para a rua principal...e esta rua, é tipo Albufeira em Agosto. É bom ter isto em atenção...

 

A praia fica a 2 min a pé do hotel e é gratuita mas a parte da Lagoa, fica a uns 10 min a caminhar e é preciso pagar para entrar (tipo 2,5€) por pertencer a uma reserva natural. A areia da Lagoa não é bem areia, são mais pequenas pedrinhas e se se pretender ficar numa espreguiçadeira o custo é cerca de 8€ dia mas vale a pena.

 

À parte da praia este local é conhecido pelos saltos Tamdem uma vez que a praia é rodeada de montanhas que podem chegar quase aos 3000m. O preço do salto é cerca de 40€ mas há várias ofertas por mais e menos dinheiro.

 

O melhor de Oludeniz? A paisagem maravilhosa, as lojas de artesanato (e contrabando), os saltos Tandem a toda a hora, o hotel, os jardins, as pessoas...

 

O pior? O sismo de grau 5.8 que sentimos enquanto estávamos calmamente na praia...e parece que estes eventos são bastante frequentes na zona.

 

Dicas: comam gelado, façam compras de marcas contrabandeadas, saltem da montanha, levem repelente de mosquitos e sandálias para andar nas pedrinhas da praia, fiquem mais de 3 dias :) 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

por oturnodanoite às 14:58

Sexta-feira, 06.04.12

Diário de um congresso

É giro ir a um congresso...mais: é estimulante o que se aprende, implica preparação mental e de trabalhos (se se participar), obriga a roupinha pipi que não posso usar no dia a dia e, se o congreso for numa cidade que não se conhece bem e num país diferente, mais estimulante é.

 

Aqui vai o diário do congresso:

 

2 dias antes: Ahh maravilha!!! Aqui vou eu!! Tenho o trabalho pronto para apresentar, as malas pensadas, o passaporte em dia, o guia da cidade, as reservas do hotel!! Entusiasmo total!

 

Véspera: Fixe! Lá vou eu a um congresso internacional da área! As melhores cabeças pensantes estão lá. Grandes ideias e trabalhos de outros locais do mundo para me inspirarem. Mal posso esperar para os ouvir falar. Atenção: fazer malas com vestidinhos!

 

1º Dia: Viagem boa. Olhem para mim que vou a um congresso. Chegada de avião e ida directa ao local do evento: levantar a tralha que inclui o programa científico...UI!!!! Tudo tão interessante!! Vamos lá ver uma sessãozinha já hoje! A cidade fica pra depois...

 

2º Dia: Não gosto de me levantar tão cedo...mas tem que ser...paguei um dinheirão pelo congresso. O melhor é ir cedo e absorver toda aquela sapiência...bora lá pôr o vestidinho e a make up Chanel :) Muito interessante!!! Tudo!!! Gostei de todas as apresentações!! Ficava aqui dias a fio a ouvi-los falar!!UAU!! E as sandochas ao almoço?? Boas!!

Fim do dia: pronto...por hoje chega de congresso...trabalhos giros, prendinhas dos laboratórios...tábem...vamos lá conhecer a cidade

 

3º Dia: Quero dormir...mas é melhor ir já para o congresso. Hoje arrasto-me um pouco para o evento. Fico até às 16h30 mas a essa hora já caio de sono...ouvir aquelas pessoas a falar também me dá sono...e falam tanto de doenças terríveis...Bora lá conhecr a cidade!! Ahhhh gira!!!! Lojas giras!! Monumentos giros!!! Ruas e pessoas simpáticas!! Aqui é que eu estou bem e não enfiada naquele congresso :)

 

4º Dia: Último dia do congresso, Até que enfim!!! Chega de pessoas a falar de doenças e de doentes e de hospitais e de sandes da treta ao almoço...A cidade é gira e está à nossa espera...mas devagar tá? Que me doem as perninhas de tanto caminhar e faz um frio como já não em lembrava em Portugal...

 

Último dia: Ufffa!! Quero ir para a minha casa. Chega desta cidade caríssima e deste congresso. Para o ano que vem há mais!

HOME PLEASE!!!!    

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

por oturnodanoite às 18:18

Domingo, 05.02.12

Analepse: ano novo em Paris

Este não é um post sobre Paris! 

A cidade é bonita sim senhora, as viagens são acessíveis e os locais para visitar são muitos e já conhecidos pela maioria das pessoas (quem nunca foi lá sabe com certeza os principais locais a visitar).  Este post é sobre o fim de ano que passei lá...ui...querem ouvir a história?

 

(se continuam a ler é porque querem..presumo)

 

Tinhamos planeado um fim de ano em Paris. Eu e maridão fomos na última uma semana do ano para Paris para conhecer melhor a cidade e dedicarmos um dia a cada "bairro". Assim mesmo com zero graus, conhecemos e re-visitámos algumas das principais atracções da cidade. Até aqui tudo bem.

No dia 31 tínhamos combinado encontrarmo-nos com uns amigos que vinham de Londres. O Eurostar onde vinham só chegava à noite e por isso combinámos jantar juntos. Fomos a um restaurante libanês, às dez da noite, sem nada marcado, na zona da Igreja Sacre Coeur. Não aconselho tanta descontração no planeamento!!

Vai daí que eram umas 23h quando tentávamos decidir onde iamos passar a meia noite e euzinha, ESPERTA, disse que gostava era de ir aos Campos Elíseos..Ui!! Que maravilha era ir aos Campos Elíseos. Isso é que era bonito e típico. Os amigos e o maridão, vendo-me tão entusiasmada e a ignorar a informação que vem nos guias a dizer que há sempre tumultos por lá no ano novo, assentiram ao meu pedido.

Entrámos no metro eram 23h20 (praí) e a coisa correu logo mal. Na verdade demorámos "3 metros" a entrar no metro porque o os comboios vinham tão cheios, tão cheios, tão cheios, que não dava para entrar. No quarto metro lá entrámos e fui o caminho todo sem os pés nos chão, suspensa pelas pessoas à minha volta. Quando pensávamos que não cabia mais ninguém, lá entravam mais uns 100000000..foi bonito de se ver!!

Presenciando a confusão do metro lá percebemos que iriamos passar a meia noite no dito comboio subterrâneo e assim, saímos numa estação qualquer para passar a meia noite. Lá fomos os 4, para um cafézito simpático, pedimos champanhe e brindámos um pouco à pressa e já fora da hora :)

Mas o que é que eu queria???? Era ir aos Campos Elíseos. Isso é que eu gostava. Dizer que tinha lá passado o ano. E lá fomos.

 

Quando subimos as escadas do metro nos Campos Elíseos já ouvíamos tiros. Parte da multidão (entre eles os nossos amigos) desceram para o metro novamente mas eu não queria ficar espezinhada e puxei o maridão pra rua. A este momento seguiu-se um salsifré (não sei como se escreve isto mas fica giro e descreve bem a cena) de polícia de choque, gás pimenta, tiros e correrias pelas ruas. Nem sei se fiquei assustada, excitada, nervosa ou se nem percebi bem acena no momento mas corri. Muito.

Sabem o que me irritou? Não foi perder os amigos. Não foi passar a meia noite no cafézito da treta. Não foi o quase-esmagamento no metro nem sequer a possibilidade de levar com um tiro (também acho que não estavam a atirar directamente para as pessoas vá).

O que me irritou verdadeiramente foi, no meio da corrida à polícia de choque, enquanto ainda não sabíamos para onde fugir e como chegar ao hotel, enquanto os olhos lacrimejavam com o gás pimenta, eis pois, que o maridão pára, várias vezes, sem quase conseguir abrir os olhinhos, e tira todas as fotos que consegue porque "é para a posteridade", tipo TINHA QUE SER.

Não pude ralhar com ele porque afinal a ideia de lá ir tinha sido aqui da "Je". Mas queria.

Final feliz? Chegámos ao hotel tarde, cansados, com os olhos a arder e sem os amigos.

No entanto...

Reza a história que passei o ano em Paris nos Campos Elíseos com uns amigos e foi maravilhoso (mas a verdade é que a passei num cafezito de bairro, perdemos os amigos e íamos levando com um tiro na mona enquanto passámos, fugazmente, pela treta dos Campos Elíseos.

Aaahhhh o Fim de ano em Paris!!!!! Aconselho :)

Aqui vai uma das preciosidades disparada no momento da fuga

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

por oturnodanoite às 20:13

Sábado, 28.01.12

Baden-Baden: caracalla

image.jpeg

Passou-se o segundo dia. Caracalla foi o spa!! Este spa enorme fica mesmo ao lado do Friedrichsbath mas é maior e mais recente. A entrada são 14€ por duas horas (mínimo tempo) mas estar lá dentro 2h é pouco. Digo isto porque dentro do spa há muita oferta! Podem passar o tempo no café, restaurante, loja, centro de saúde e bem estar, saunas, jacuzzis, piscinas, banho turco, solário, enfim... Nós optamos por experimentar (quase) tudo. No piso de baixo do spa fizemos os tratamentos: ele massagem e eu tratamento de rosto chamado biodroga. Cada um dos tratamentos durou 60 min e saímos de lá como novos (pronto, eu saí com a cara que parecia ter bebido um garrafão). Neste espaço a que chamam wellness center há uma série de tratamentos de beleza e massagens disponíveis, é só escolher! Depois ficámos pelas piscinas e os jacuzzis onde a temperatura da água varia entre os 18 e os 38 graus e são alguns interiores e outros exteriores. Hoje não nevou (graças aos céus que eu sou uma pessoa que só gosta da neve na televisão) mas admito que era interessante estar na piscina exterior e a nevar...assim se fosse 5 minutos....mas estavam uns calorosos 2graus! Neste piso também há salas de calor húmido (ou banho turco) com eucaliptos e plantas! Atenção, não é preciso estar sempre de molho como o bacalhau. Há quem leve um livrinho, deite numa espreguiçadeira e fique a ler e a relaxar. Neste piso podem estar crianças. O piso de cima é reservado para nudistas. Estão ali as principais saunas cujas temperaturas variam de 45 a 98 graus e também estas podem ser interiores ou tipo cabanas, com verdadeira lareira, no meio dos jardins exteriores. Há aqui saunas pra todos os gostos sejam com luz de relaxamento, saunas onde servem fruta fresca, saunas de aromas florais (mas não servem flores!) e muitos chuveiros de água fria para os corajosos que saem das saunas. Este banho de água fria após a sauna promove a circulação e definitivamente simula um ataque cardíaco :) Caso experiencie o ataque cardíaco mantenha na mesma o silêncio (obrigatório nas saunas) para não incomodar os outros que estão a tentar relaxar. Dica: levem biquini, toalhas nem que sejam do hotel (no spa cobram 6€ de aluguer), e gel banho e shampô. Dica 2: vão com os tratamentos/massagens já marcados porque eles enchem com facilidade. Dica3: sentem-se no jacuzzi exterior a ver a paisagem e relaxem! Enviado do meu iPhone

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

por oturnodanoite às 18:27

Terça-feira, 24.01.12

Analepse: Cruzeiro Ilhas Gregas

 

Ah poisé!! Também tive a experiência de um cruzeiro nas ilhas gregas. Felizmente não fui no Costa Concordia :) O perigo não estaria no barco (parece-me) mas no comandante que gosta de miudas novas :)

 

Há muito que gostava de ter a experiência de um cruzeiro e foi no ano passado que a coisa se deu. O barco saiu de Veneza e pertence à companhia Norwegian Cruise Line que é Americana. Como tal, o barco ia cheio de americanas algumas das quais tão maquilhadas que parecia que iam fazer um show burlesco no jacuzzi do último piso.

Muito se diz sobre estas experiências: "que nem se sente que se vai num barco" (sobretudo se for grande, e este, era o caso pois tinha 14 andares), que a "comida é sempre a mesma coisa", que lá dentro é "tudo incluído" e coiso e tal. Digo isto porque leio muitos comentários antes de fazer uma viagenzinha..

Antes de mais aconselho a, antes de comprarem a viagem, verem se compensa fazê-lo num site português ou pior, num agência hehe. É que nós comprámos no site americano e o preço da viagem era o mesmo valor em dolares e em euros pelo que, comprando no site americano pagámos em dolares e ficou mais em conta. They can not enganate us.

Depois pensem no camarote. Se têm por hábito dormir de olhos fechados talvez não compense vender o corpo e ir num camarote com varanda. É giro, eu sei. Se houver dinheiro para tudo ainda melhor mas se tiverem que estabelecer prioridades verão que ver as vistas 5 minutos da janela minúscula do quarto não compensa o dobro do preço na viagem.

Voltando ao outro assunto...o barco abana. É um barco e por isso caso sejam sensíveis ao enjôo levem drunfos pra tomar. As lojas dos barcos têm drunfos e, ao contrário do que se diz, os preços eram aceitáveis para um barco. Ainda assim, sou uma mulher tão prevenida que levo cortisona injectável para o caso de ter uma reacção alérgica hehe...mas isto sou eu :)

O barco saiu de Veneza. Ao contrário do que pensei inicialmente não compensava de todo ir numa low cost. Cada vez acho mais que as low cost compensam em muito poucas ocasiões (mas em algumas sim).

Outra pequena questão: o tudo incluído. É gio sim senhora mas não é verdade. Há dois restaurantes onde se pode comer e A COMIDA E ÁGUA são incluídas mas outras bebidas e os outros 13 restaurantes do barco, são pagos. No barco não faltam estratégias para impingir produtos desde cobrarem balúrdios por fotografias até preços estupidamente absurdos pelas excursões que se podem muito bem, fazer sem a ajuda deles desde que haja um mínimo de planeamento.

Atenção aos tempos no barco: de embarque, saida do barco, deslocações às povoações e regresso ao barco com tempo. O Sr comandante apesar de poder estar momentaneamente distraído com uma louraça não espera pelos passageiros.

Continuando, esta viagenzinha parava em Corfu, Santorini, Mykonos e Katakolon.

Corfu: cidade simpática, forte bonito, muito artesanato e comida barata e típica. Vale a pena visitar a parte nova e velha da cidade.

Santorini: muitos já conhecem as imagens da ilha pelo que não é preciso dizer. Subimos de burro (a descer ele podia empinar no abismo e isso deixava-me  nervosa) e descemos de teleférico (pra fotos no teleférico é sempre melhor a descer que a subir, acho eu).  Alugámos carro entre 4 pessoas e valeu a pena. Alugam à hora e com o a ilha é pequena deu para conhecer Oía e ainda tomar uma banhoca nas praias da ilha, muito bom.

Mykonos: bonita ilha mas sem nada de transcendente. Vale a pena alugar um veículo (o nosso foi uma moto 4) para ir a uma das praias mais afastadas da cidade. Paradise beach é para nudistas mas vale a pena (mas? porque é que eu escrevi "mas"?). Dica: depilação tá?  Só naquela de encontrar algum famoso que ande por lá...afinal, esta é a ilha dos famosos e ninguém quer cruzar-se com o Brad sem a devida virilha bem cavada ;)

Katakolon: ninguém conhecia o nome pelo que achámos que era uma ilha artificial com lojas da Norwegian Cruise Line para nos impingirem coisas. Não é. É mesmo uma localidade pequena, um porto, de onde se pode apanhar autocarro ou comboio para visitar o local onde aconteceram os primeiros jogos olímpicos. Dica: autocarro mais rápido e mais em conta, levem muita água e protector e se der, aluguem guia no local porque senão ficamos a olhar para um monte de calhaus e a tentar inutilmente imaginar a cena.

 

Mais uma coisa: em Veneza Sta Luzia os preços do alojamento são elevados e as condições fracas. Aconselho aos mais audazes a ficarem em Veneza Mestre que fica a 10 minutos de comboio. Tenho dito.

Há, o taxi para o porto de onde saem os barcos cruzeiro não compensa. Transportes públicos como o vaporetto funcionam bem :)

Conluindo pode-se dizer que a experiência é gira. O mais fixe é acordar cada dia num porto diferente e ir à aventura. A comida é muito boa e variada, as pessoas do barco simpáticas (os Filipinos, portanto) e o entretenimento bastante bom. Coisas más? A pressão das horas que requer saídas cedo do barco para se aproveitar, as pessoas marcarem as espreguiçadeiras na piscina durante 5 horas sem lá estarem (irrita-me tanto que merece um post) e as tentativas de impingir despesas com bebidas, excursões ou fotografias mas no geral, é uma óptima experiência.

 

Dica final: escolham um cruzeiro "Freestyle cruising" que é para irem comer à hora que quiserem e partilharem a mesa com quem desejam levando vestida a roupa com que se sentem confortáveis. Se depois de ter pago um cruzeiro tivessem que me impingir vestido de noite, comer às 19h30 todos os dias e partilhar a mesa com duas velhotas a cheirar a naftalina, não ia. Prontosss. Tenho dito. O próximo só se for no Báltico ou Alaska. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

por oturnodanoite às 16:36


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Janeiro 2017

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031